domingo, 31 de maio de 2009

Sorry...

Gente, infelizmente a placa mãe do pc daqui de casa foi ao espaço. E eu estou apenas com o laptop para escrever, o que às vezes fica muito ruim porque ele é fraquinho e pra pesquisar coisas na internet fica ruim de tanto ele trava, fora o fato de ter que dividir o lap com o pessoal da casa e a net (que não é wiifi!) com o lap do meu pai (que agora é o passatempo do meu irmão – fico extremamente irritada quando quero ver alguma coisa e ele não libera a internet por estar jogando)... em quanto eu entro na net o poço que eu posso fazer é tentar upar o pequeno aqui e ler um pouco... e é por isso que provavelmente eu não esteja lhe respondendo e nem postei as fotos que eu havia falado em algumas postagens anteriores (e vai demorar porque então estou sem as fotos e sem o Photoshop).

Espero a compreensão de vocês.

Ônibus, dia 28 de maio de 2009

Estava pensando em reencontros até que me veio algumas pergunta à cabeça.

Há aquelas pessoas que por ventura você acaba preferindo tirar da sua vida, que apaga do Orkut, bloqueia e manda pro espaço no seu MSN, evita encontrar ou simplesmente coincide (ou não) de sair livremente da sua frente e circulo social.

Daí e se você reencontra essa(s) pessoa(s)? Em um curso, na faculdade, em uma festa, no ônibus. O que vocês fariam?

Pensei... pensei... pensei... Será que reconheceria a pessoa? Não falo reconhecer apenas pelos fatores do tempo que alteram algumas características físicas, mas no meu caso já fui muito odiada por um alguém que (para mim) não tinha rosto, complicado? Em um mundo em que muitas das relações entre pessoas são através da internet não é nada difícil de explicar.

Será que se eu reconhecesse eu fingiria que nada está acontecendo, digo, que não conheço? E se o reconhecimento for multuo? Fingirão? Se o outro indivíduo vier falar? E pior, falar e você não lembrar de imediato quem é? Começo a chorar (opção TPM depressiva) pedindo que se vá? Pede-se eu se retire caso o ser humano começar a desenterrar defuntos ou simplesmente um “¿Porque no te callas?” seria melhor? (modulo TPM agressiva ignorante) Ou simplesmente sorri fingindo que nada lhe está acontecendo (rezando por dentro que tudo aquilo se acabe)? E se afinal aquilo for tão passado superado que você nem liga (apesar daquele desconforto já que queira quer não você já quis essa pessoa longe), mas e se para a pessoa aquilo não for tão enterrado assim e resolver lhe tratar mal?

Em meio a tantas perguntas acabei imaginando situações tão engraças que acabei rindo comigo mesma e estranhando como uma situação que poderia ser tão desagradável poderia transformar um momento sem nada o que fazer “divertido”...

O cdu vira à direita e vai entrando no campus...

Um comentário:

Pati disse...

computador quebrar é super normal ~~;