sexta-feira, 3 de junho de 2011

Hard Working and Ambitious

Anteontem um professor estava falando sobre uma diferença básica entre o nosso povo e o norte americano. É tudo uma questão de mentalidades, "aprendemos" que o trabalho esforçado é "feio".
Admiramos mais aqueles que levam uma vida cheia de "glamour" e riquezas sem fazer o mínimo esforço aparente do que aquele empresário que chegou do nada. Veio de uma família pobre, estudou em colégios públicos (ou conseguiu bolsas de estudos em colégios de elite - em alguns casos, que eu conheço, pagou  de seu próprio bolso para estudar em escolas privadas), fez uma faculdade a trancos e barrancos, tendo ainda que ajudar em casa. Depois disso tudo, consegue por mérito criar uma marca, conseguir investidores e se firmar no mercado... olha-se para ele: "novo rico", torcemos o nariz e preferimos "seguir" aqueles que já nascidos em berço de ouro vivem em um mundo paralelo que mais parece o da série Gossip Girl* (ou alguma celebridade fútil). Achamos "bonito" o "cidadão comum" que tenta passar a perna no "mais poderoso", no governo, nas empresas, em bancos... Criou-se a figura do malandro (o malandro é bom?!).
"No Brasil, o negócio é ser inteligente. Dois alunos tem que fazer uma prova, um passa a noite estudando, enquanto o outro vira o dia no bar... quando os dois se encontram na porta da avaliação se cumprimentam, 'E aí, Estudou?', ambos vão dizer que não.
Se você mandar uma carta de recomendação a uma universidade nos Estados Unidos dizendo que o aluno é inteligente, ninguém vai compreender. Vão indagar 'Ele sabe multiplicas 375 x 563?'. Elogiar um aluno para os norte-americanos é chama-lo de hard working and ambitious.
O mesmo caso dos estudantes se preparando para a prova... um estuda o outro sai para tomar todas... quando se encontram os dois afirmarão que viraram a noite estudando. É bonito ser esforçado."
Por mais que muitos apontem a segunda qualidade como um ponto extremamente desumano no modo de ser americano, se você parar para pensar (e souber separar as coisas - como eu falei na primeira crônica de viagem) faz muito sentido. Eles repudiam aquele que "pisa no pescoço da mãe" para chegar a onde quer, mas o maior xingamento que você pode fazer à ele é dizer: "Você não tem ambição". Se você não tem ambição, porque você vive? E é justamente por você ter ambição que você se esforça tanto para chegar lá (Hard working!).

Saí da sala de aula com uma sensação esquisita; não quero mais ser inteligente, esperta.... (no máximo "lista" como diriam os hispanos) Quero acreditar do fundo de meu coração que eu sou (ou posso ser) uma hard working and ambitious girl.

 
PS.: Sei bem que a figura do malandro não se aplica a muitos brasileiros, inclusive aos esclarecidos leitores desse blog, espero não ter ofendido ninguém.
*sem nenhuma crítica à série que tem o seu papel em entreter, nos deliciando com roupas lindas e não, impor o o padrão de glamour e riqueza dos upper east siders

2 comentários:

KIRAFASHION disse...

Está certíssima Hannah!
A nossa mentalidade é mesmo bem diferente da americana, eles valorizam mais o trabalho que a gente... por aqui todos querem ficar ricos para n trabalhar... por lá as coisas n são assim...
anyway, sem erforço n se vai a lugar nenhum, não é mesmo?

:))

NOVIDADE: Pagamento Digital disse...

Arrasou Hannah! Que bom que uma, ainda, garotinha como você pensa assim. Fico feliz, muito feliz