sábado, 17 de dezembro de 2011

Escher, Estética e Simetria


Fui a exposição de Escher no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro no início do ano. Já conhecia o trabalho do artista gráfico holandês a tempo, mas ver o conjunto da obra agregando as salas especiais e vídeos (a sala com o vídeo em 3D era fantástica!)  é no mínimo uma experiência completamente diferenciada.

Maurits Cornelis Escher explora em seu trabalho o infinito, as construções impossíveis, metamorfoses, a ilusão de ótica. Brincar com o espaço parecia ser a sua meta, suas figuras que em um plano tridimensional seriam impossíveis são colocadas no papel para criar um mundo mágico só possível no plano bidimensional.

"A partir de uma malha de polígonos, regulares ou não, Escher fazia mudanças, mas sem alterar a área do polígono original. Assim surgiam figuras de homens, peixes, aves, lagartos, todos envolvidos de tal forma que nenhum poderia mais se mexer. Tudo representado num plano bidimensional." (Wikipédia)


(Observando esta imagem que eu guardei da propaganda on-line da coleção Outono-Inverno 2011 de Marc Jacobs acabei fazendo referência as imagens de M. C. Escher e me inspirando para escrever este post.)

Analisar seu trabalho é sonhar com  a simetria que tanto buscamos na moda, arte e porque não nas nossas vidas? Sim queremos ser perfeitos e nossa natureza mostra que esse sonho é impossível. O homem é fadado a buscar uma completude e nunca encontrá-la e por isso ele cria a arte como escape para a busca dessa perfeição. A mídia diz que a estrela do momento é perfeita então que todos nós podemos ser perfeitos... mas não se engane, a mídia, a propaganda vende o belo, e o belo é muitas vezes associado a esta imagem ilusória de perfeição completa.
Mas cá entre nós, a perfeição enjoa; gostoso mesmo é conviver com as diferenças que por sinal, por mais que Escher brinque com a simetria ele também trabalha os diferentes. É o preto com o branco, toques de amarelo, peixes que aos poucos vão se misturando com (ou se transformando em) pássaros...

A perfeição consiste em compreender a nossa incompletude e aprender a lidar com ela.


*Os organizadores da exposição perderam de ganhar um bom dinheiro com camisetas, fiquei abestalhada querendo comprar a camisa de uma das orientadoras da exposição, mas ela disse que não tinha para venda. (eu sei, problemas de direitos, etc.)


Mais M. C. Escher! (site oficial)


Nenhum comentário: